segunda-feira, 23 de julho de 2012

Noivas em outras culturas

Antes de uma noiva indiana se casar, suas amigas e parentes decoram suas mãos e pés com desenhos elaborados com henna chamados “menhdi”. Os desenhos são incrivelmente detalhados e demoram horas para ficarem prontos. Outras tradições indianas é de a noiva estar adornada com muitas joias. Ela também pode fazer o ritual de jogar um pote de arroz na casa do noivo (onde geralmente é feita a cerimônia) para trazer boa sorte e fartura à união.
Quem gosta de maquiagem já deve ter reparado que, por mais exótico que pareçam para nos, certos estilos parecem fazer sucesso. Neste caso, a tendência já era antiga, porém restrita a quem queria fazer algo pouco mais exótico e com ares místicos. A popularidade porém, veio graças a força da teledramaturgia com a novela “Caminho das Índias” que trouxe a maquiagem indiana para o nosso cotidiano, fazendo com que ela seja mais do que um estilo exótico e com doses de misticismo. O ar misterioso das mulheres indianas acabou fazendo sucesso e despertando o interesse das brasileiras pelo assunto.

É uma maquiagem complicada de fazer? Nem tanto. As diferenças são notáveis, mas nada que não possa ser feito em terras brazucas. Se aqui as mulheres tendem a ser mais cleans quando o tema é a maquiagem, com o velho lema do “menos é mais” o grande segredo da maquiagem indiana está na atenção dada ao olhar feminino, especialmente os olhos bem marcados com traços em preto com o uso do kajal. Aqui no Brasil, podemos usar o próprio kajal, que está a venda em lojas de cosméticos e maquiagem ou lápis preto e delineador. Isso fica a seu critério assim como as cores usadas nos lábios, afinal é preciso adaptar o que vem de fora ao que fica mais interessante usar por aqui, não é mesmo?


Do lado de lá do mundo, pintar os olhos é tradição que vai além da beleza. A moda dos olhos coloridos tem relação com proteção contra doenças e até espiritual.
Antigos orientais usavam o kajal - pó ou bastão para pintar os olhos - como fator de proteção contra doenças oftalmológicas e problemas inflamatórios em geral e até contra maus espíritos. “Até hoje alguns povos, como os berberes, povo que vive no Norte da África, perto do Marrocos, nas terras do Saara, ainda aplicam kajal nos olhos dos bebês para fortalecê-los espiritualmente”.

Até mesmo as mulheres do Oriente Médio, que culturalmente cobrem o corpo totalmente, usam o kajal para pintar os olhos. “As marroquinas, por exemplo, são muito vaidosas. Os véus, a burca e os trajes só não cobrem os olhos. Por isso o kajal é tão popular até hoje”, comenta.
Na Índia, no Egito e no Marrocos, entre outros países orientais, usa-se o produto em pó - feito de carvão (carbono) e especiarias bem moídas - e aplica-se com um palito. Por lá, as mulheres preparam o próprio kajal, com carvão, cravo, canela ou pimenta.
O tal cosmético já foi hit aqui do lado ocidental do mundo, na década de 60 e 70, quando a onda hippie se inspirava na moda indiana. Após a novela Caminho das Índias que era transmitida em horário nobre, o produto voltou às prateleiras e aos estojos de maquiagem. Aqui no Brasil, há um kajal orgânico direto do oriente, importado pela Sâmia Aromaterapia que ajuda a realçar o olhar, em diversas cores.

A fórmula ayurvédica desse kajal, composto de óleo vegetal, cera de abelha e carbono, acalma e limpa os olhos cansados e irritados - e até intensifica seu brilho natural. Esse carbono, encontrado em algumas versões do kajal, barra as partículas de pó nos olhos e os protege contra iluminação intensa. Como alguns produtos contêm cânfora, dá ainda uma sensação refrescante aos olhos, previne inflamações e clareia a vermelhidão.

Quem quiser aderir ao look completo pode ainda colar um bindi, uma pedra colorida, no meio da testa, considerado o local do "terceiro olho" pelos indianos, ou ainda colar várias pedrinhas no contorno das sobrancelhas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário